Prefeitura Municipal de Salvador
Mesmo após duas décadas conduzindo microônibus do Subsistema de Transporte Especial Complementar (Stec), o experiente Alberto Reis, de 45 anos, acredita ter tirado boas lições do seminário sobre tolerância no trânsito, promovido pela Transalvador, nesta quinta-feira (28), no auditório do Sest/Senat, na Pituba. O evento foi destinado a motoristas de coletivos e motocicletas e pessoas recém-habilitadas ou em processo de habilitação para a CNH.
 
O evento, que encerra as ações do mês do trânsito em Salvador, visa incentivar a mudança de atitude nas ruas da capital baiana, partindo dos próprios profissionais e motoristas civis da cidade. "É importante ter noção do quanto nossas atitudes são relevantes para a conservação da vida das pessoas ao nosso redor, e saber o quanto de responsabilidade temos ao conduzir um veículo na cidade, com o foco no cidadão e nos demais colegas que dividem este espaço conosco", afirma Alberto.
 
"A discussão sobre tolerância no trânsito é pertinente e também um dever não apenas dos condutores, mas de cobradores, passageiros e de todos que trafegam diariamente pelas vias da cidade. Essa é uma campanha de alcance nacional, implementada pelo Departamento Nacional de Trânsito (Denatran), cujo tema é 'Quem leva para o trânsito, leva para vida', e é mais um instrumento do qual dispomos para a prevenção de acidentes e preservação da vida", explica a gerente de Educação para o Trânsito da Transalvador, Miriam Bastos.
 
Durante o seminário, noções básicas de prevenção de acidentes foram repassadas aos condutores, como o respeito às regras de trânsito, a necessidade de estacionar o veículo em local seguro, parar nas faixas de pedestres, conduzir dentro da velocidade permitida, não avançar sinal vermelho e manter-se nas vias exclusivas, quando possível. As ações de prevenção de acidentes e promoção de estratégias de educação para o trânsito são responsáveis por reduzir o número de mortes nas vias municipais em 48%, entre 2013 e 2016.